Jair confirma Brenner e quer evitar G-9: “Já aconteceu comigo. Deu certo, mas chega”

Com o título do Grêmio na Libertadores e uma vaga a mais para o torneio via Campeonato Brasileiro, o Botafogo já sabe o que precisa fazer para ficar entre os oito primeiros e se classificar (veja aqui). Até se perder ou empatar e terminar em nono lugar ainda não estará tudo perdido, pois se o Flamengo for campeão da Copa Sul-Americana, o G-8 vai virar G-9. Mas ai de quem contar com esta última hipótese em General Severiano.

Jair Ventura é quem mais quer evitar este cenário de dependência por ter vivido situação semelhante em 2013, quando era auxiliar de Oswaldo de Oliveira no próprio Botafogo. O time havia terminado no G-4, mas se a Ponte Preta ganhasse do Lanús, da Argentina, na final da Sul-Americana, na época a Conmebol tirava uma vaga do país campeão. E sobraria para o Alvinegro, em quarto lugar.

– Já aconteceu comigo em 2013. Nos classificamos em 4º e tivemos que esperar a Ponte Preta na final da Sul-Americana, se ela ganhasse a gente estaria fora. Deu tudo certo, sofremos até o último minuto, mas chega, né? Não quero esperar a final, quero resolver nosso problema logo domingo e ter nossas férias merecidas – torceu. 

Torcida do Botafogo faz a festa com a vitória do Lanús pela Sul-Americana

Torcida do Botafogo faz a festa com a vitória do Lanús pela Sul-Americana

 

Na última entrevista coletiva pós-treino de 2017, o treinador confirmou a volta de Brenner, que vai para o sacrifício; previu dificuldades contra o Cruzeiro; explicou as férias antecipadas ao artilheiro Roger; revelou conversa e parabenização ao elenco e defendeu os jogadores por não falar com a imprensa ao longo da última semana da temporada.

Confira outros trechos da coletiva:

JOGADORES EM SILÊNCIO
Respeito a decisão deles, eles tomaram e eu respeito.

CONVERSA COM GRUPO
Tive reunião com atletas ontem, fizemos uma retrospectiva do ano, parabenizei pelo ano que fizeram. Só quem está dentro sabe o que acontece, e eu como líder desse grupo sei bastante. Nunca faltou entrega, determinação e falta de vontade. Não conseguimos alguns objetivos, mas mais por mérito do que demérito. Jogar melhor que o Grêmio, melhor do Brasil, é difícil. Será que foi tudo muito ruim? Claro, não podemos esconder que uma não classificação pode manchar, não para todos, pois recebo muitos elogios nas ruas de ter resgatado o Botafogo. Mas quero todos muito felizes. Agora vai ser o jogo do ano, literalmente.

DESFALQUES DE BRUNO SILVA E JOÃO PAULO
Perdas importantíssimas, mas treino todos da mesma maneira. Tenho confiança em todos os atletas, tivemos uma ótima semana de trabalho. Não é nosso melhor momento, de um ano tão bom, mas como falei lá atrás vai ser resolvido no último jogo. Respeitamos o Cruzeiro, eles não largaram a competição, vimos contra o Vasco, não vem ao Rio para passear.

JOAR COM DOIS MEIAS?
Iniciando acho que não (joga desde Camilo e Montillo). Estamos sempre alternando entre o Marcos (Vinícius) e o Leo Valencia, mas tem possibilidade de jogar os dois. De repente não de início, mas há possibilidade de tudo. Vamos estudar mais um pouquinho a equipe do Cruzeiro, ver quem vai viajar, definir uma estratégia.

 

BRENNER
Treinou ontem e hoje. Ainda está com um incômodo, mas agora é hora do sacrifício. Quem está um pouco mais cansado, desgastado pela longa temporada, sentindo alguma coisa, é hora de juntar forças e, mesmo que não esteja 100%, fazer nosso melhor.

 
Brenner ainda snete incômodo no ombro direito, mas vai para o jogo (Foto: Marcelo Baltar)

Brenner ainda snete incômodo no ombro direito, mas vai para o jogo (Foto: Marcelo Baltar)

ROGER
Não teve relação com o Inter. Não conseguiu se recuperar a tempo, sentiu incômodo no adutor, seria muito arriscado entrar com jogador que não está bem num jogo decisivo. Se fosse para cumprir tabela, de repente poderia fazer uma despedida. Vai ser uma perda muito grande para o ano que vem, mas temos mercado que é forte financeiramente. Desejo toda felicidade ao Roger, é um cara que nos ajudou muito.

IMPORTÂNCIA DA LIBERTADORES
Aumenta a responsabilidade. Esse jogo passa a ser mais decisivo do que nunca, não vamos ter outra chance. Temos que vencer ou vencer. Empate não serve. Vamos muito fortes, muito fortes para conseguir nosso objetivo.

REAÇÃO DA TORCIDA
Senti que ficaram tristes, como nós também, principalmente contra Atlético-PR e Atlético-GO em casa. Como vão ficar felizes? Com todo respeito, mas era o lanterna e em casa. Sabemos o custo que é levar a família para o jogo, aí chega e o time perde? A gente entende a raiva. Sempre é delicado falar no momento ruim. Na minha pouca experiência percebo isso. Tem outras interpretações, mas não vou deixar de ser como sou e falar.

 

O ano foi bom. Vivemos um momento ruim. O que foi maior? O ano bom, senão não estaria mais aqui. Tentamos deixar de lado o momento ruim e lembrar o ano todo para transformar em um jogo. Futebol não é passado, torcedor não quer saber onde time chegou, quer voltar à Libertadores. Tem que ter energia positiva, ser otimista.

MENSAGEM PARA TORCIDA
O que falei ano todo. Torcida foi nosso 12º jogador, agora não é diferente. Que possam fazer uma grande festa, empurrar a gente, dentro do campo prometo que vai ter muito empenho, vamos deixar tudo. Quero carregar os jogadores após o jogo, nem que seja nos meus braços, e conseguir mais um grande objetivo.

VAGA MAIS FÁCIL OU DIFÍCIL QUE 2016?
Igual, né? Está difícil da mesma maneira pela grandeza das duas equipes. Ficou claro contra o Vasco que o Cruzeiro não abandonou a competição, o Martín Silva foi o melhor em campo. Vai ser difícil como foi ano passado, tão difícil quanto, e o resultado te conto na segunda (risos).

SUPERSTIÇÃO
Tenho mas não vou contar. Mesma coisa do time, não conto por nada (risos).

ESTÁGIO PESSOAL
Meu estágio é eterna evolução. Aprendi muito com o Carlos Roberto, foi um preparador físico e auxiliar dele no América e depois Madureira. Quero estar em evolução quando estiver com 60 anos, com cabelos brancos, careca está aumentando (risos). Acredito que ser humano tem que estar sempre em evolução.

OPERAÇÃO LIMPIDUS
Não afeta em nada, é uma situação que fiquei sabendo agora, já tinha dado treino, foi tranquilo. Assim como a eleição, são coisas extracampo que a gente deixa fora, vamos nos preocupar com o campo bola.

Fonte: GE

Sobre o autor