Dívida de Wagner bloqueia saída de Rafael Marques, que ainda tem contrato

A mudança de Rafael Marques para a China está batendo na trave, com o risco de não terminar em gol. Embora já esteja fazendo a pré-temporada no Henan Jianye, o ex-atacante do Botafogo teve sua transferência bloqueada pela Justiça do Trabalho na última terça-feira, oito dias após o clube chinês anunciar oficialmente sua contratação.
Rafael-Marques-Botafogo-Satiro-SodreSSPress_LANIMA20130907_0057_30
O embargo é consequência de uma ação do ex-goleiro Wagner contra o Botafogo na 36ª Vara do Trabalho. Campeão brasileiro pelo Alvinegro em 1995, ele luta para receber o pagamento de uma dívida que já completou 12 anos. A seu favor, havia sido expedido um mandado de penhora de aproximadamente R$ 2 milhões, valor correspondente a pouco menos de um terço do que o Alvinegro recebeu na transação de Rafael Marques.
Porém, Wagner não viu a cor do dinheiro, e, assim, conseguiu bloquear a transferência na CBF.
– Quando saí do Botafogo em 2002, o então presidente Mauro Ney (Palmeiro) assinou uma confissão de dívida comigo. Estou cobrando isso há 12 anos. Voltei em 2009 como treinador de goleiros e, por causa desse problema, acabei demitido no ano seguinte – lamenta Wagner.
Apesar de ter rescindido o contrato que iria até 31 de dezembro de 2015, Rafael Marques continua registrado na CBF e na Federação do Rio como jogador do Botafogo. Responsáveis pelo futebol do Alvinegro, os dirigentes Aníbal Rouxinol e Sidnei Loureiro não foram encontrados pelo Jogo Extra. Uma fonte ligada ao departamento jurídico tirou o Botafogo de campo e passou a bola para o jogador:
– Ele deve entrar na Justiça pedindo uma liminar de direito ao trabalho – sugeriu.
O impasse pegou de surpresa o procurador do atacante, Eduardo Uram.
– Eu e o Rafael não temos conhecimento de nenhuma penhora que poderia cercear o seu direito ao trabalho – disse o empresário.
A janela de transferência na China termina no próximo dia 28.

Fonte: Extra Online

Sobre o autor
Editores responsáveis pelo site