Com orçamento aprovado, Botafogo terá R$ 78 milhões para investir em jogadores

cosnehlho

O Conselho Deliberativo do Botafogo aprovou o valor de R$ 150 milhões para o orçamento do departamento de futebol para a próxima temporada. O montante é 42% maior do que em 2015, quando o time disputou a Série B do Campeonato Brasileiro. Deste total, R$ 78 milhões poderão ser utilizados com a folha salarial e com a contratação de reforços. Foram R$ 28 milhões a mais do que em 2015.

O presidente Carlos Eduardo Pereira vinha defendendo um aumento maior de receita para o futebol por conta do desafio de se disputar o Campeonato Brasileiro. Porém, sempre foi o primeiro a lembrar da importância de se honrar os compromissos.

“Estamos trabalhando com austeridade porque o Botafogo segue em uma situação muito delicada no aspecto financeiro. Portanto, não podemos cometer erros, pois as receitas ainda são curtas e as dívidas são grandes”, disse o mandatário alvinegro.

O dirigente confia que o time será bem competitivo.

“Vamos montar uma espinha dorsal e trabalhar em cima dela. O Jefferson inicia essa espinha, que tem ainda o Joel Carli, que é um zagueiro argentino experiente. No meio de campo, estamos acertando com o Pedro Larrea, equatoriano, que será o nosso volante de referência e queremos ainda dois meias e um centroavante de referência. Assim teremos a espinha dorsal para seguirmos com a montagem do time”, avisou.

Do orçamento previsto para o futebol, cerca de R$ 40 milhões serão utilizados para pagamentos de dívidas do setor em gestões anteriores, uma vez que o Botafogo vem participando do Ato Trabalhista para não ter as receitas bloqueadas.

A ideia da diretoria do Botafogo é ter o elenco fechado até o dia 2 de janeiro, quando está marcada a reapresentação do plantel, que vai treinar em Vitória, capital do Espírito Santo, durante a pré-temporada. Alguns amistosos, inclusive, já estão acertados para o período. O primeiro compromisso oficial em 2016 será a estreia no Campeonato Carioca, contra o Bangu, no último fim de semana de janeiro, em local a ser definido.

Nova fornecedora de material

Fora de campo, a diretoria recebeu uma proposta da empresa canadense Dry World e tem grandes chances de anunciá-la como fornecedora de seu material esportivo na próxima temporada, em substituição à Puma.

O atual contrato, que chega ao fim em maio, vinha sendo alvo de insatisfação por parte dos dirigentes devido à falta de reposição de peças e por questões envolvendo a loja oficial do clube.

A Dry World, que se lançou no mercado esportivo trabalhando apenas com tênis, já vem negociando com outros dois clubes brasileiros: Fluminense e Atlético-MG, com quem está próximo do acordo.

Fonte: Gazeta Esportiva

Sobre o autor
Botafoguense desde a Escandinávia. Jornalista e torcedor de arquibancada. Desde sempre vivendo 24 horas o nosso glorioso.