13 de junho de 1963: Botafogo x Racing de Paris decidindo o campeão do Torneio de Paris. Adivinha quem levantou a Taça?

1963 Campeão Torneio Paris
Dia 13 de junho de 1963. Botafogo x Racing de Paris decidindo o campeão do Torneio de Paris de 1963, competição de nível mundial à época.

O Botafogo entrou no jogo para decidir cedo a parada, terminando o 1º tempo vencendo por 2×0. Aos 16 minutos o artilheiro Quarentinha aproveitou um centro de Zagallo para inaugurar o marcador numa bola que acabou por passar por entre as pernas do goleiro francês.

Três minutos depois foi Jair Bala que ampliou o marcador através de novo centro da ‘formiguinha’ Zagallo.

Porém, no 2º tempo o Botafogo foi surpreendido pela disposição do Racing, que empatou o jogo. Milutinovic, de cabeça, aproveitou um escanteio cobrado por Van Sam e reduziu a diferença aos 16 minutos do 2º tempo – curiosamente o mesmo minuto do gol de Quarentinha na 1ª parte.

O Racing criou mais oportunidades, mas do outro lado, defendendo a baliza do Glorioso, encontrava-se nada mais nada menos que o maior goleiro brasileiro de todos os tempos – Manga, que segurava a vitória com excelentes intervenções. Mas aos 28 minutos Senac endossou a bola a Heute, que empatou o desafio. Os 20 mil franceses que presenciavam o jogo no Parque dos Príncipes animaram-se e puxaram pela equipe. A virada começava a parecer possível.

Mas no ataque do Glorioso estava, além de Quarentinha, um homem campeão do mundo chamado Amarildo. Então, apenas dois minutos volvidos do empate do Racing, Amarildo recebeu um passe de Zé Maria, driblou o zagueiro Lagadee e fez a bola morrer no fundo das redes francesas: estava consumada a vitória e a conquista do Torneio de Paris.

Os franceses tentaram o empate, mas naquele tempo o Glorioso sabia segurar uma vitória por diferença mínima.

Nesse memso dia, enquanto o time principal arrecadava sensacionalmente a Taça parisiense, o time juvenil sagrava-se tricampeão carioca por antecipação ao golear o Bonsucesso por 4×0.

Parte da geração de atletas da década de 1950 sairia de palco nos três / quatro anos seguintes, ficando uma outra parte de atletas experientes a mesclar um time maduro para receber sangue novo proveniente de uma nova e notável geração de futebolistas. Veja-se o time juvenil: Hélio; Mura, Zé Carlos, Adevaldo e Dimas; Luiz Carlos e Arlindo; Jairzinho, Roberto Miranda, Canavieira e Othon.

Em Paris, os vencedores davam pelos nomes de Manga; Paulistinha, Zé Maria, Nilton Santos e Rildo; Ayrton e Zagallo; Garrincha, Jair Bala, Amarildo e Quarentinha.

Fonte: Mundo Botafogo

Sobre o autor
Editores responsáveis pelo site