ROBERTO MIRANDA

clip_image012

Roberto Miranda nascido em São Gonçalo em 1943 foi mais um dos grandes craques que atuaram pelo nosso glorioso.

Atuou pelo Botafogo de 1960- ainda juvenil – a 1972, pelo Flamengo parte do ano de 1971 e pelo Corinthians de 1973 a 1976. Raçudo, chegou a quebrar costela, braço, clavícula e queixo e ainda rompeu o tendão de Aquiles – aqui, uma curiosidade, foi um acidente doméstico, numa queda de um litro (vidro) de leite. Tinha fama de “não fugir do pau”, que cresceu quando, logo depois de marcar o gol de empate em uma partida contra o Vasco, tomou um tapa do zagueiro Fontana e revidou, o que gerou uma enorme briga e causou a expulsão de ambos.

Apelidado de Vendaval pela maneira como passava pelas defesas adversárias, Roberto Miranda é o nono maior artilheiro da história do Botafogo, com 154 gols em 352 jogos. Foi ainda o artilheiro do Campeonato Carioca de 1968. Pela Seleção Brasileira, fez 18 partidas oficiais e marcou nove gols. Também atuou em dois jogos não oficiais, ambos em 1970, e marcou um gol.

Em sua carreira de jogador conquistou diversos títulos, como os Campeonatos Cariocas de 1962, 1967 e 1968 e os Torneio Roberto Gomes Pedrosa nos anos de 1964 e 1966, Campeonato Brasileiro de Futebol de 1968, Tri-campeão da Copa do Mundo de Clubes (1967,1968 e 1970), Campeão do torneio de Carranza da Argentina: 1966 e do troféu Jornalista de Caracas: 1966 todos pelo Botafogo, e a Copa do Mundo de 1970, pela Seleção Brasileira — a maior emoção de sua vida. Na campanha do Tri, ficou na reserva de Tostão, mas entrou em campo contra Inglaterra e Peru, na primeira partida substituindo Tostão e, na segunda, Jairzinho.

Por essas historias gloriosas Roberto Miranda é merecedor de todas as nossas homenagens !

texto e pesquisa: Flávio Fernandes

Sobre o autor
Botafoguense desde a Escandinávia. Jornalista e torcedor de arquibancada. Desde sempre vivendo 24 horas o nosso glorioso.