Lateral lembra dia em que Seedorf fez torcida organizada se desculpar por invadir treino

622_50d1a3e1-a2e5-3b3b-956b-4dfe8290ac7e

Lucas Pedro de Lima é lateral esquerdo e tem apenas 24 anos, mas já viu de tudo um pouco no futebol. Revelado pelo Criciúma e com passagens por Internacional, Botafogo, Paraná Clube, ABC-RN e Goiás, ele atualmente joga no Arouca, grande sensação do Campeonato Português. O clube que defendeu por mais tempo, porém, foi o alvinegro carioca, no qual teve a oportunidade de conviver com o craque Clarence Seedorf e aprender muitas lições com o meia.

Além das aulas futebolísticas, Lima também viu o holandês ensinar, em 2013, como acalmar uma torcida organizada furiosa apenas com conversa, sem necessidade de partir para violência, como o próprio ala esquerdo recorda.

“Estávamos em uma fase ruim, com atraso de salários, e a situação não estava legal, apesar de estarmos na briga pela Libertadores. Aí teve um jogo contra o Goiás no Serra Dourada, um calor danado, e perdemos por 1 a 0. Na volta ao Rio, teve pressão da torcida no aeroporto, jogaram ovos, xingaram muito e tudo mais”, lembra, em entrevista ao ESPN.com.br.

Os torcedores uniformizados, porém, não se contentaram em apenas ofender os atletas no aeroporto, e seguirão a delegação até o Engenhão. Quando os atletas botafoguenses foram se preparar para o treino, a segurança os alertou que as organizados haviam invadido o estádio pela porta dos fundos.

“Estávmaos na ‘pilha’, então resolvemos conversar com os caras. Parecia cena de filme, uns 30 torcedores de um lado da grade e nós do outro, tava quente o negócio. Aí o Seedorf puxou a fila e foi lá na frente. Os torcedores começaram a falar que queriam mais empenho, xingaram mais e mais, e a gente só escutando: ‘A gente tem que ganhar, vocês não estão honrando a camisa'”, conta.

Foi aí que o holandês, ex-Milan e Real Madrid, colocou sua experiência em ação.

“O Seedorf ficou calmo e esperou eles teminaram de falar. Aí foi ele quem começou a falar com os caras, e eles ficaram todos quietos. O ‘negão’ deu tantos argumentos, falou tão bonito, que no final os caras pediram desculpas e lamentaram pela cena toda (risos)”, diverte-se.

“Eles disseram: ‘A gente só queria ajudar, dar apoio’, mas o Seedorf acalmou os caras, ele tinha muita moral. O poder de convencimento dele era muito grande, não só com torcedores, mas com o grupo todo também. Ele ajudou demais o Botafogo em todos os sentidos”, elogia.

Outra história que faz Lima sorrir é a de quando ele começou a se destacar no início de careira, no Criciúma, e passou a receber sondagens de grandes clubes da primeira divisão. Foi aí que ele teve a chance de jogar ao lado de uma “grande lenda” do boxe.

“Chegaram duas propostas ao mesmo tempo: uma do Inter e uma do Cruzeiro, O presidente do Criciúma me chamou na sala dele, umas 22h da noite, achei muito estranho”, recorda.

“Daí ele me olhou e falou: ‘Lima, acho que a melhor oção é o Inter, porque tem grandes jogadores e você vai se dar bem lá. Inclusive tem um menino lá que está arrebentando, o Mike Tyson, vai ser muito bom pra você jogar junto com ele’ (risos). Na hora eu comecei a dar risada, não consegui segurar. Falei pra ele: ‘Presidente, é Taison, não Mike Tayson (risos)”, gargalha.

Gaúcho de Estação-RS, o ala escolheu mesmo a equipe colorada, que defendeu entre 2010 e 2012, com um empréstimo para o Paraná Clube no período, além do título do Campeonato Gaúcho de 2012. Depois, passou pelo Botafogo, Goiás e ABC antes de acertar com o Arouca, de Portugal, em junho do ano passado.

Sucesso em Portugal

Quando Lima chegou ao Arouca, mal podia imaginar o sucesso que ia fazer logo em sua primeira temporada. A pequena equipe está em 5º lugar no Campeonato Português, atrás apenas de Benfica, Sporting, Porto e Braga, e no momento ocupa uma das vagas na próxima Liga Europa.

“A adaptação foi muito tranquila, e a língua facilita muito, é claro, além de ter vários brasileiros. O time está dando os primeiros passos na elite, mas está indo muito bem, fazneod um bom campeonato. Desde que cheguei fui titular e conquistar de cara a confiança do treinador”, celebra.

O brasileiro se destacou especialmente com gols de falta: foram três até o momento na temporada. Além disso, ele ajudou o Arouca a conseguir um feito histórico: vencer os gigantes Porto e Benfica na mesma temporada. O triunfo sobre os portistas, aliás, foi em pleno Estádio do Dragão, por 2 a 1.

“Conseguimos um grande resultado contra o Porto, que é uma potência mundial, e quebramos um tabu de anos deles sem perder em casa. Foi um negócio louco, porque o Arouca nunca tinha vencido o Porto em toda a história”, celebra.

A vitória por 1 a 0 sobre o Benfica também foi muito comemorada.

“O jogo contra o Benfica foi a primeira vitória do Arouca na história também, algo incrível. É quase impossível bater esses times, pois eles quase não perdem pontos para os clubes menores. E, na mesma temporada, ganhamos dois dois. Sem dúvida é um feito histórico, que jamais será esquecido pela torcida aqui”, finaliza.

Fonte: ESPN.com.br

Sobre o autor
Botafoguense desde a Escandinávia. Jornalista e torcedor de arquibancada. Desde sempre vivendo 24 horas o nosso glorioso.