Preto e branco

O Botafogo venceu o Santos por 1 x 0 no Maracanã durante a tarde deste domingo (31), em jogo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol da equipe carioca foi marcado por Daniel após um belo chute de fora da área.

Na partida não foi possível ver um alto nível de qualidade técnica. O duelo dentro de campo foi apenas uma parte de todo o contexto que marcava presença no estádio. Se o jogo não foi digno de aplausos, a torcida botafoguense foi. Elogiar a atuação dos 14 mil alvinegros é o primeiro ponto a destacar. Foram 90 minutos de apoio e esse tipo de incentivo não ficou limitado aos jogadores do clube de General Severiano.

O goleiro santista Aranha, vítima de racismo na última quinta (28), no jogo entre Grêmio x Santos em Porto Alegre, teve seu nome gritado pelos torcedores alvinegros. Uma atitude louvável e reconhecida pelos atletas do time adversário. Belo exemplo.

fogoaranha

E isso não aconteceu apenas na arquibancada. No dia 27 de abril, no confronto contra o Internacional, os jogadores do Botafogo exibiram uma faixa que fazia parte de uma campanha anti-racismo do clube.

somos um só dfaixa

Na ocasião, houve uma alteração na ordem das cores preta e branca na camisa de jogo. Pouquíssimas pessoas perceberam, o que dava ênfase à ideia da campanha de marketing. Somos um só.

E essa linha de raciocínio também serve para o botafoguense. Em alguns momentos já aceita a “realidade certa” de que o clube vai ser rebaixado, mas após vitórias como as de hoje sonha alto, ou então nas vezes que diz que nunca mais quer ir ao estádio e três dias depois está no Maracanã, ou o que diz que nenhum jogador do time presta e depois elogia vários.

Preto, branco, otimismo, pessimismo, desistência, esperança, apoio, corneta, alegria, tristeza. Tudo faz parte do Botafogo e de seus torcedores. Alguns  mais, outros menos, mas é essa mistura de características que compõem não só o Botafogo, como todo o futebol. Tudo faz parte de uma mesma paixão. Somos todos um só.

somos

Sobre o autor
Jornalista formado pela Facha, carioca e torcedor fanático. Presença constante nos jogos, até hoje não se conforma com os títulos não conquistados de 2007, sente falta do Loco Abreu e é contra o alto preço dos ingressos. Twitter: @dudumuniz_