O Fator Surpresa

Se o Botafogo hoje vivesse uma realidade paralela, Vagner Mancini estaria demitido. Não pela sua incompetência pois, diante das circunstâncias, nosso técnico vem fazendo um trabalho admirável. Todos estão vendo. Poucos treinadores aguentariam a  pressão de meses sem salário e um elenco limitado tecnicamente. Ainda assim, o Botafogo vem fazendo bons jogos e contra o  São Paulo foi mais um exemplo. Inúmeros desfalques, time completamente desfigurado, e mesmo assim tivemos um momento onde
chegamos a estar vencendo por 2×1, mas sucumbimos à força de Kaká, Ganso, Pato e companhia. Mancini seria demitido porque o esforço do técnico nunca é analisado, apenas resultados. Ele só não será mandado embora porque não haverá outro treinador que aceite ir para o Botafogo com o caos que está. Uma vez de presidente novo e ambiente renovado, torço pela volta de Oswaldo ou Cuca.

Mesmo assim, o Botafogo não vai cair, muito menos acabar. Mas vejam bem, não estou dizendo que será fácil. Será sofrido até a última rodada, como sempre foi, senão não é Botafogo. O que precisamos é de um fator surpresa. Não é tão difícil imaginar pois vivemos isso na Copa do Brasil numa fenomenal virada em dois minutos. O que salva o Botafogo é a garra infinita que nos permite certos fatores surpresas, como André Bahia que voltou a aparecer contra o São Paulo. Agora pela frente, teremos 13 pontos que não podemos deixar de conquistar:

Internacional Fora – Precisamos empatar!
Bahia em casa (Maracanã) – Precisamos lotar e vencer!
Criciúma Fora – Precisamos vencer!
Goiás em casa (Maracanã) – Precisamos lotar e vencer!
Grêmio em casa (Maracanã) – Esse será o jogo mais difícil e precisamos lotar e vencer!

Com isso, teremos 35 pontos e jogos mais complicados pela frente. Com a volta dos titulares, não creio que seja tão complicado mas Vagner Mancini terá de tirar leite de pedra. A perda do Daniel foi lamentável e agora Mancini precisa pensar se Sheik evoluirá bem no meio como nosso maestro. Na frente, Zeballos e Bruno Correa pode funcionar. Desde que Mamute seja apenas um trunfo de segundo tempo, eu já fico satisfeito. A Copa do Brasil precisa ser muito valorizada pelos jogadores e pela torcida. A partida em casa contra o Santos precisa ferver, temos que pressionar! Está na hora de vibrar a cada lance. Está na hora do Capitão chamar a responsabilidade. Quanto ao Brasileiro, quero lembrar mais uma vez que não cairemos. O Botafogo sempre tem um fator surpresa. Aquele cara que ninguém esperava aparece e salva o nosso ano. Mesmo que esse alguém seja o Jóbson… Não seria a primeira vez.

Falei, ta falado!

Sobre o autor
Nascido no Rio e apaixonado pelo Botafogo. Desde a infância tive gosto pela escrita e pela Comunicação. Formado em Tecnólogo em Informática e Engenharia em Telecomunicações, acompanho o Glorioso de perto desde os títulos Brasileiro, Carioca, Rio-São Paulo dos anos 1995-1998. Hoje, colunista do Fala Glorioso, espero aproximar os sentimentos da torcida de forma geral. Com um pouco de pretenção, que esta energia chegue até a comissão técnica e jogadores.