Reserva de Jefferson, Júlio César é pressionado para definição emergencial

úlio César não disputava uma partida oficial havia 45 dias e por isso ficou na reserva. Mas a decisão por Jefferson na derrota por 1 a 0 da Seleção Brasileira para a Suíça e as palavras de Luiz Felipe Scolari são sinais muito claros para o goleiro de exibições convincentes na Copa das Confederações 2013: é preciso definir o futuro e jogar para seguir titular com Felipão.

Ciente do peso das palavras do comandante, o goleiro admitiu até a possibilidade de permanecer no Queens Park Rangers-ING para a segunda divisão inglesa, que já começou. A possibilidade era praticamente impensável, no discurso e na prática, há alguns dias. Júlio César chegou a negociar com equipes italianas, foi especulado no Arsenal, mas nada ocorreu.

“O Júlio César não jogou nenhuma partida e vem tentando se acertar”, justificou Felipão. “O treinamento dele (na véspera do amistoso) foi bem diferente do normal que ele vinha fazendo”, declarou o treinador depois da derrota em Basileia.

A necessidade de uma definição emergencial visa os compromissos da Seleção em setembro, contra Austrália e Portugal. A partir desta quinta, são mais duas semanas para que se defina o futuro de Júlio, discreto o tempo todo na Suíça.

Um dos jogadores mais participativos da Seleção Brasileira na atualidade, o goleiro evitou falar. Foi o último a se apresentar, sob a alegação de problemas pessoais, e praticamente não falou na chegada. Depois da partida na reserva, deixou o vestiário e mais uma vez fez pouca questão de conversa.

 

Fonte: Terra

Sobre o autor
Editores responsáveis pelo site