Botafogo Campeão do Troféu Teresa Herrera de 1996


O Troféu Teresa Herrera é um dos mais renomados e tradicionais torneios independentes do futebol mundial. O torneio teve sua primeira edição disputada no ano de 1946. Usualmente jogado na cidade de La Coruña, na Espanha, o Troféu Teresa Hererra já teve a participação de diversas equipes que registraram história no futebol.

Em 1996, o Troféu Teresa Herrera teve a participação de Botafogo, La Coruña, Ajax e Juventus de Turim. Todos os times participantes eram detentores de títulos recentes.

O Botafogo chegou ao Troféu Teresa Herrera como vigente campeão brasileiro. Na temporada, a equipe tinha conquistado o Campeonato Municipal do Rio de Janeiro (Taça Cidade Maravilhosa) e os torneios independentes Copa Rio-Brasília, Nippon Ham Cup, no Japão e President of Alania Cup, na Rússia.

O Ajax era o atual campeão mundial, holandês, da Supercopa Européia e Supercopa da Holanda. O La Coruña era o atual campeão da Supercopa Espanhola e do próprio Troféu Teresa Herrera. A Juventus era campeã da Copa dos Campeões da Europa, da Supercopa Italiana e do Troféu Luigi Berlusconi.

O formato de disputa foi de confrontos eliminatórios em jogos únicos de semifinal e final. Todas as partidas foram jogadas no Estádio Riazor, em La Coruña.

O Botafogo, na semifinal, venceu o La Coruña, de Djukic, Manjarín, Mauro Silva e Donato, por 2×1. O time galego abriu vantagem com o gol de Beguiristáin. O Botafogo empatou com Bentinho e ainda no primeiro tempo, com gol de Túlio, inverteu o resultado do placar.

Na outra semifinal, a Juventus venceu o Ajax por 6×0, uma goleada expressiva. Os dois times haviam se enfrentado onze semanas antes, na final da Copa dos Campeões da Europa, com vitória da Juventus nas cobranças de penalty.

Pela disputa do terceiro lugar, o La Coruña venceu o Ajax por 2×0.

Pouco antes da final, houve uma divergência quanto aos uniformes. A Juventus estava com seu tradicional primeiro uniforme. A equipe do Botafogo entrou no campo com uma camisa predominantemente preta, com listras brancas, apenas, na altura dos ombros. As camisas não eram parecidas mas o árbitro, inoportunamente,  entendeu que os uniformes eram conflitantes e não permitiu o início do jogo. Cordialmente, o Botafogo aceitou jogar com a camisa do La Coruña, porém, o distintivo da estrela solitária estava presente nos calções e meias do uniforme regular.

O clube de Piemonte tinha uma equipe muito forte, com jogadores como Ferrara, Di Livio, Vieri, Del Piero, Deschamps, Boksic e Zidane, que jogou a semifinal, mas esteve ausente na final. A Juventus largou na frente, com Vieri, de cabeça, aos 23 minutos do primeiro tempo, após cruzamento de Del Piero. No início do segundo tempo, o Botafogo empatou com o cabeceio de Túlio, após preciso passe de Wilson Goiano. Aos 30 minutos do segundo tempo, Di Livio entrou na área pela esquerda e centrou para o gol de Amoruso, com um chute forte, praticamente dentro da pequena área. Instantes depois, o Botafogo empatou com França, um chute de primeira e forte, de fora da área, após rebote de escanteio. O jogo terminou empatado, 2×2, no tempo regulamentar.

Na prorrogação, logo nos primeiros minutos a Juventus anotou 1×0. Um desarme de bola no meio-campo gerou um ataque rápido, que foi concluído com o arremate de Amoruso. O Botafogo empatou com Túlio, após rebote de um forte chute de Souza na cobrança de falta.

Já nos minutos finais do segundo tempo da prorrogação, a Juventus voltou a comandar o placar, passe de Jugovic e Amoruso, novamente, anotou. Dessa vez, foi um chute rápido na saída do goleiro Wagner. Ao Botafogo, restava pouco tempo. Túlio, dentro da área,  recebeu um ótimo passe e sofreu penalty. O próprio Túlio cobrou o Penalty, com um chute forte, no alto, e empatou a prorrogação, terminada em seguida.

Na decisão por cobranças de penalty, o Botafogo fez a primeira cobrança, Peruzzi defendeu o chute de Jefferson. A Juventus teve a chance de abrir vantagem mas Wagner defendeu o chute de Amoruso. Wilson Goiano, com um chute rasteiro no canto da meta, marcou o primeiro gol do Botafogo. Wagner defendeu o chute de Di Livio, na segunda cobrança da Juventus. Wilson Gottardo, com um chute no canto, marcou o segundo gol do Botafogo. Na terceira cobrança da Juventus, Jugovic chutou fora do gol. Souza, com um chute de trivela, marcou o terceiro gol do Botafogo e assegurou o troféu.

Foi uma conquista difícil. O Botafogo esteve em desvantagem, no placar do jogo final, por quatro vezes. Cinco foram suas desvantagens de placar, no torneio todo. O time jogou com valentia exemplar e foi campeão do Troféu Teresa Herrera de 1996.

Botafogo

Wagner; Wilson Goiano, Wilson Gottardo, Grotto, Jefferson, Souza, Otalicio, Marcelo Alves (Marcos Aurélio 90´), França (Zé Carlos 87´); Túlio, Sorato (Mauricinho 59´).

Juventus

Peruzzi; Ferrara, Montero, Porrini, Torricelli; Deschamps, Jugovic, Del Piero (Amoruso 45′), Di Livio; Padovano (Ametrano, 45′), Vieri (Boksic 90´).

10/08/1996

Estádio Riazor

La Coruña, Espanha

 

Fonte: Botafogo, O Glorioso

Sobre o autor
Editores responsáveis pelo site